Pastor desafia ameaças de muçulmanos na Indonésia: "Somos mais que vencedores"

Um grupo com cerca de 20 radicais muçulmanos invadiu recentemente uma reunião de cristãos que acontecia dentro de uma casa, em Central Java, na Indonésia. Durante o ataque, eles ordenaram que os cristãos parassem com as reuniões e que, se fossem vistos novamente, iriam enfrentar uma morte violenta.


Além disso, os invasores levaram pertences dos participantes da reunião, inclusive do Pastor Yudianto, responsável por plantar a igreja no local. As informações são do site Mission Network News (MNN).


Quando a polícia chegou para investigar a invasão, caixas de armas foram encontradas fora da casa, revelando a presença dos radicais muçulmanos, de acordo com Bruce Allen, da Forgotten Missionaries International - FMI (Missionários Internacionais Esquecidos, em tradução livre), que está apoiando o ministério de Pastor Yudianto.


“Apesar da intimidação e das ameaças que estamos enfrentando, os cristãos no país do Sudeste Asiático estão de pé e firmes contra as afrontas”, disse Allen.


“Após a invasão, o Pastor Yudianto ficou mais algum tempo com a família que sediava as reuniões da igreja", continuou Allen. "Eles perguntaram ao pastor o que deveriam fazer. 'O que nós vamos fazer agora? Estamos nervosos e com medo, mas o que é que vamos fazer? Nós ainda queremos ser discipulados por você'”, disseram.


Resistência


O Pastor Yudianto, que já tem um ministério bem estabelecido em Java Central, estava começando mais um trabalho de evangelismo na aldeia quando o ataque ocorreu. Apesar das ameaças dos radicais muçulmanos, o missionário planeja voltar para a aldeia no final deste mês para continuar seu ministério.


"Ele vai fazer uma nova reunião com todos os cristãos, com várias famílias e partes das famílias representadas nessa nova congregação. Ele quer incentivá-los, dizendo: 'Isto é o que enfrentamos como cristãos na Indonésia, o maior país onde há dominância muçulmana", disse Allen.


Allen disse que o Pastor Yudianto está sendo treinado para ter sucesso em sua missão, apesar dos perigos que está enfrentando. "A liderança do FMI está ajudando ele a pensar sobre esses tipos de problemas. A nossa identidade em Cristo nos torna mais do que vencedores", disse Allen.


"É como o apóstolo Paulo diz. Nós somos como ovelhas que estão sendo levadas para o matadouro. Mas, mesmo no meio de todas estas dificuldades e circunstâncias difíceis, podemos permanecer mais do que vencedores", disse Allen. "Nós não podemos deixar essas dificuldades nos abatam", finalizou.


FONTE: GUIAME

Categoria:internacional

Deixe seu Comentário